23 março, 2011

Ultima carta.



Irei ser breve e fácil.
De dia, vais e escondes.
Entrega mútua, dois corpos, alma vendida.
De noite, voltas e escondes.
Fé numa ignorância ingénua,
Espera por uma nostalgia momentânea,
Esperança estúpida deste.
Hoje, o teu esperado fim, chegou.

Mas ainda tenho palavras queimadas por escrever,
Retratos desfocados no meu olhar,
Pelos quais mataria só para acabar com a dor.
Escorreguei num chão lavado por lágrimas.
Cristais escurecidos em sombra, tua.
Ar gelado pela presença do teu sorriso.

Com um silêncio eterno, fingiste amar pela noite ansiosa.
Com um silêncio eterno, deste rosas minhas a ninguém.
Agora,
Um silêncio eterno te prometo.

Minha doença, minha cura.
Minha despedida.
Meu ultimo adeus.





Minha ultima carta.

2 comentários:

namorada do Rui xD disse...

escreves mesmo bem :o
adoro!

catarina sousa disse...

ADOREI ! está mesmo mesmo mesmo bonito !
o melhor até agora ;)
gostei mesmo.. espero que seja o teu ultimo adeus a essa depressão :D
bjs