17 abril, 2011

Autobiografia.


A vida fez-me triste,
O destino traçou-me anónimo.
A luta mostrou-me fraco,
E o sentimento morreu-me, falhado.
Calado, declamei em teu nome,
Sempre em teu nome...

Pela mentira, caminh
ei descalço.
Pelos céus, escrevi ensanguentado.
Em papel, tatuei despedidas,
E vazio, li lágrimas derramadas.

Na melodia lenta, afoguei-me.
No ódio opaco, adormeci...

Sem voz, chamei por Deus.
Por outrem, estudei a vida,
Sem viver, morri repetidamente...

Na dor, cresci poeta.





5 comentários:

catarina sousa disse...

uau !
sem dúvida poeta. e dos grandes ;)
adoro, adoro e adoro*

nênê disse...

Vais ao youtube, em baixo do video está uma hiperligação chamada "compartilhar" e depois, nessa mais em baixo está "incorporar" e copias o link que se encontra aí :)

ac disse...

que bonito !

ac disse...

fácil , como assim ?
não tens de quê *
estou a seguir.

Vanessa disse...

mesmo assim gostaria de ter mais, mas com o tempo aprendo : p
nisso concordo contigo, se cada palavra escrita/dita for com sentido tem muito mais valor.
obrigada mais uma vez pelo apoio : $