18 junho, 2012

20∞



Olho-te afim, através de um copo incolor, sobre as pequenas vibrações de água em vidro que o completam. Chego a ti por universos etéreos em lupa. Ser de as mãos quentes, braços trémulos e boca serrada e definida. És o dó no meu Outono, o mi na primavera. 
Tu, luz contínua em noites de selva, transversais em fumo e gravatas pretas. 
Desfoco as estrelas e foco-te em plano, tal como uma foto antiga, confortante numa mesa humilde.
Sorri em mim, escreve em mim, vive em mim até a saudade do sol renascer. 
Isto? Apenas um dos mil pequenos mundos que moram nesse copo à tua frente. Escolhe o próximo, é a tua vez...  

10 comentários:

sóphia tudo-quer disse...

é sempre bom ter quem desejar; depositar um bocado de nós para nos reinventarmos; gostei muito

bruni disse...

gosto tanto de procurar energia por estes lado.. e mil obrigadas

alexandra disse...

"Sorri em mim, escreve em mim, vive em mim até a saudade do sol renascer."
Simples, bonito e muito, muito perfeito : )
Adorei o texto e também a música.
Beijiho*

alexandra disse...

Não tens que me agradecer por escreveres dessa maneira tão maravilhosa : )
Obrigada eu.
Beijinho*

Filipa disse...

Muito obrigada (; Não andava a conseguir aceder ao blog

SaraN disse...

adorável!
P-E-R-F-E-I-T-O! apaixonei-me completamente

Diaana Santos disse...

Uau! sem palavras

Soraia Torres disse...

isto está lindo , escreves maravilhosamente bem :)

Aileen disse...

Escreves tão perfeitamente bem :)

mais um post maravilhoso :) beijinhoooos gd weekend

TDelMona disse...

obrigada pela força , pelas palavras que deixas-te no meu cantinho mesmo estando eu "desaparecida" mas vim apenas dizer que voltei, voltei e espero que seja durante muito tempo :)