09 maio, 2012

18∞


Inclina um pouco o teu rosto húmido e inspira, solta as tuas asas borboleta e traz-me a tua poção em pétalas... Brilha comigo e sustem a respiração. Os ramos altos traçam-me a luz enquanto tu serves a nossa alma a troncos milenários. Prometemos infinitos em cumplicidade livre, abençoados.

Beija-me agora, e só mais desta vez. Não respires e eu dou-te o azul límpido, tulipas e framboesa. Não vás, fiz um ninho com a melhores pedras enquanto o verde passeava pelo alcatrão negro e molhado. Seis acordes e vinte e quarto olhares viram as estrelas e seguiram... 
Ama-me, trinca-me e expira!  

5 comentários:

silver disse...

gostei muito, muito.

Ana Margarida disse...

Que lindo.

alexandra disse...

Gosto : )

Patricia Laranjeira disse...

adorei!
estou a seguir o blog :)

bruni disse...

gosto tanto deste teu mundo. é estranho e bonito