12 novembro, 2011

2∞


Embora o que saibas de mim seja trémulo e mereça , às vezes, ser cuspido para bem longe, não sou assim.
Não sou assim, tão como tu o conheces, ou pelo menos, não sou o que gostava de ler no teu diário. Estou preso, preso dentro daquilo que te criei, sem chave alguma.
Sou sim o que viajo por detrás das imagens, sou-te o que apago linha a linha.
Sou eu, sem ti.
Contudo, e sabendo já de cor as tuas crenças, declaro-me aos teus olhos, aqui escondido.
Escondido de ti, por não saber ser verdadeiro para com o espelho.

Talvez um dia me o deixes partir, talvez um dia vivas o filme da tua vida.
Sim, porque eles existem.








Um beijo.

3 comentários:

bruni disse...

ai que perfeito!
sim, tenho andado em maus dias

Renata disse...

oh querido, eu sei que é, mas a vida não é só felicidade*

xaninha disse...

Adoro!